Glimepirida Teva Glimepirida bula do medicamento

Neste folheto:
1. O que é Glimepirida Teva e para que é utilizado
2. Antes de tomar Glimepirida Teva
3. Como tomar Glimepirida Teva
4. Efeitos secundários possíveis
5. Como conservar Glimepirida Teva
6. Outras informações


FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

Glimepirida Teva 1 mg Comprimidos
Glimepirida Teva 2 mg Comprimidos
Glimepirida Teva 3 mg Comprimidos
Glimepirida Teva 4 mg Comprimidos
Glimepirida

Leia atentamente este folheto antes de tomar o medicamento.
Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.
Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.
Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; o medicamento podeser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas.
Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundáriosnão mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Neste folheto:

1. O QUE É GLIMEPIRIDA TEVA E PARA QUE É UTILIZADO

A glimepirida é um medicamento para redução dos níveis de açúcar no sangue
(medicamento antidiabético para administração oral).
A glimepirida é utilizada em certas formas de diabetes (diabetes mellitus tipo 2), quandoa dieta, exercício e perda de peso, por si só não tiveram um efeito adequado.

2. ANTES DE TOMAR GLIMEPIRIDA TEVA

Não tome Glimepirida Teva
– se tem alergia (hipersensibilidade) à glimepirida ou a qualquer medicamento do mesmogrupo (sulfonilureias e sulfonamidas) ou a qualquer outro componente de Glimepirida
Teva.
– se a sua função renal ou hepática estão gravemente comprometidas
– se tem diabetes Mellitus tipo 1 (insulino-dependente);

– se tem cetoacidose diabética (complicação da diabetes com rápida perda de peso,náuseas e vómitos)

– em caso de sonolência e perda de consciência devido ao aumento excessivo do nível deaçúcar no sangue (como diabético)
Em caso de insuficiência renal ou hepática grave é necessária a permuta para insulina
Tome especial cuidado com Glimepirida Teva
Durante o tratamento com glimepirida, é necessário a monitorização regular do nível deaçúcar no sangue. O seu médico também pode mandar fazer análises para controlar onível das células sanguíneas e a função hepática.
Deve respeitar o plano de tratamento prescrito pelo seu médico para obter o nível deaçúcar no sangue adequado. Isto significa que para além da ingestão regular docomprimido, respeite o regime dietético, pratique exercício físico e, quando necessário,perca peso. Tenha em atenção que o nível de açúcar no sangue (e possivelmente urina) édeterminado com regularidade como prescrito pelo seu médico.
Nas primeiras semanas de tratamento o risco de níveis reduzidos de açúcar no sangue
(hipoglicemia) pode estar aumentado, pelo que é vital que seja cuidadosamentecontrolado pelo seu médico.
Redução do açúcar no sangue pode ocorrer se:
– toma as refeições de forma irregular ou salta refeições:
– está em jejum;
– está mal nutrido
– alterou a sua dieta;
– aumentou a sua actividade física e a ingestão de hidratos de carbono não acompanhouesse aumento;
– consome álcool, especialmente em combinação com refeições que não tomou
– toma outros medicamentos ou medicamentos naturais ao mesmo tempo;
– toma doses elevadas de glimepirida;
– sofre de perturbações especiais induzidas por hormonas (disfunções funcionais daglândula da tiróide, ou da hipófise ou córtex supra-renal);
– a sua função renal está diminuída;
– a sua função hepática está seriamente diminuída;
– não cumpre as instruções dadas pelo seu médico ou neste folheto.
Informe o seu médico de tais riscos para que ele possa ajustar a posologia da glimepiridaou rever o plano de tratamento e alterá-lo se necessário.
Se sofre de diminuição de açúcar no sangue (hipoglicemia) pode apresentar os seguintessinais:
– dor de cabeça, fome, exaustão, náuseas, vómitos, fadiga, sonolência, distúrbios de sono,inquietação, agressividade, falta de concentração, redução do estado de alerta e do tempode reacção, depressão, confusão, distúrbios na fala e visuais, dificuldade em utilizar oucompreender a linguagem (afasia), tremores, ligeira paralisia, distúrbios sensoriais,tonturas, e fraqueza.
Os seguintes sinais também podem ocorrer: sudação, pele húmida, ansiedade, ritmocardíaco acelerado, aumento da pressão arterial, sensação de batimento cardíacoanormalmente forte ou irregular (palpitações), dor forte e inesperada no peito que podeirradiar para áreas vizinhas (angina de peito) e arritmias cardíacas.
Se os níveis de açúcar no sangue continuarem a diminuir, pode sofrer de confusãoconsiderável (delírio), desenvolvimento de convulsões cerebrais, perda de auto-controlo,

respiração pouco profunda e redução do batimento cardíaco, também pode perder aconsciência. O quadro clínico de uma grave redução no nível de açúcar no sangue podeassemelhar-se a um acidente vascular cerebral.
Na maioria dos casos, os sinais por redução no nível de açúcar no sangue desaparecemmuito rapidamente quando consumir algumas formas de açúcar, por exemplo, rebuçadosde açúcar, cubos de açúcar, sumos doces e chá adocicado.
Deve sempre ter consigo algumas formas de açúcar (rebuçados de açúcar, cubos deaçúcar). Lembre-se que os adoçantes artificiais não são eficazes. Contacte o seu médicoou o hospital mais próximo se a toma de açúcar não ajudou ou se os sintomasreaparecerem.
Os sinais de redução no nível de açúcar no sangue podem estar ausentes ou menospronunciados ou desenvolverem-se muito devagar. Não tem consciência em momentoalgum que o nível de açúcar no sangue desceu. Isto pode ocorrer em doentes idosos atomar determinados medicamentos (por ex. os que actuam no sistema nervoso central ebloqueadores beta). Também pode ocorrer quando sofre de certos distúrbios do sistemaendócrino (por ex. certos problemas na função tiróidea e hipofisária anterior ouinsuficiência supra-renal). Disfunção hepática pode afectar o mecanismo de contra-
regulação.
Em situações de stress (por ex. acidentes, operações agudas, infecções com febre, etc.)pode ser indicado uma troca temporária par a insulina.
Os sinais de aumento de açúcar no sangue (hiperglicemia ? pode ocorrer quando aglimepirida não foi ainda suficiente para reduzir o açúcar no sangue, quando não cumpriuo plano de tratamento prescrito pelo médico ou situações especiais de stress) podemincluir sede, micção frequente, boca seca e pele seca com comichão, infecções fúngicas ecutâneas e redução do seu rendimento.
Nesses casos deve contactar o seu médico.
Se tem deficiência na na enzima glucose-6-fosfato desidrogenase, ou G6PD, aglimepirida pode provocar uma diminuição nos seus níveis de hemoglobina, que podemconduzir a níveis reduzidos de células vermelhas (anemia hemolítica). Deve informar oseu médico de tem deficiência na G6PD.

Tomar Glimepirida Teva com outros medicamentos
A actividade e segurança deste tratamento podem ser afectada se este medicamento fortomado em simultâneo com outros medicamentos. Da mesma forma, outrosmedicamentos podem ser afectados se tomados em simultâneo com a glimepirida.
Consulte o seu médico antes de tomar qualquer outro medicamento.
O efeito redutor de açúcar no sangue da glimepirida pode ser potenciado e sinais deredução dos níveis de açúcar no sangue podem ocorrer quando um dos seguintesmedicamentos for administrado:
outros antidiabéticos orais e insulina
– antibióticos (por ex. cloranfenicol, quinolonas, tetraciclinas, sulfonamidas)
– analgésicos e anti-reumatismais (derivados da pirazolona, por ex., fenilbutazona,azapropazona, oxifenbutazona)
– analgésicos (salicilatos)
– medicamentos para tratamento da tuberculose (ácido para-aminosalicílico)

– medicamentos para fortalecimento muscular (anabolizantes e hormonas sexuaismasculinas)
– medicamentos que inibem a coagulação do sangue (cumarina)
– medicamentos para tratar infecções fúngicas (miconazol e fluconazol)
– medicamentos que reduzem a pressão sanguínea e frequência cardíaca (inibidores da
ECA, bloqueadores beta, simpaticolíticos)
– medicamentos que aumentam o humor/antidepressivos (fluoxetina e inibidores da
MAO)
– medicamentos que inibem o apetite (fenfluramina)
– medicamentos que reduzem o aumento do nível de gordura no sangue (fibratos)
– alguns medicamentos para o tratamento do cancro (ciclofosfamidas, trofosfamidas eifosfamidas)
– medicamentos para o tratamento de alergias (titroqualina)
– perfusão de doses elevadas de medicamentos para aumentar a circulação sanguínea
(pentoxifilina)
– medicamentos para tratamento da gota (probenecide, alopurinol, sulfinpirazona)
O efeito redutor de açúcar no sangue da glimepirida pode ser diminuído e sinais deaumento dos níveis de açúcar no sangue podem ocorrer quando um dos seguintesmedicamentos for administrado:
hormonas sexuais femininas (estrogénios e progestagénios)
– medicamentos diuréticos (saluréticos, diuréticos tiazídicos)
– hormonas da tiróide
– medicamentos que inibem a inflamação(glucocorticóides)
medicamento para tratamento de cãibras ou esquizofrenia (fenitoína, derivados dafenotiazina)
– medicamentos para redução da pressão sanguínea (diazóxido)
– medicamentos para tratamento da tuberculose (rifampicina)
– medicamentos para tratamento de níveis baixos de açúcar no sangue (glucagon)
– medicamentos para dormir (barbitúricos)
– medicamentos para tratamento de algumas doenças oculares (acetazolamida)
– medicamentos para aumentar a frequência cardíaca (adrenalina e simpaticomiméticos)
– medicamentos que reduzem o aumento do nível de gordura no sangue (derivados do
ácido nicotínico)
– uso prolongado de medicamentos para alivio da obstipação (laxantes)
Medicamentos para tratamento de úlceras no estômago e duodenais (antagonistas dosreceptores H2) ou anti-hipertensivos (bloqueadores beta, clonidina e reserpina) podempotenciar ou diminuir o efeito redutor do nível de açúcar no sangue da glimepirida.
Medicamentos com efeito no sistema nervoso central (bloqueadores beta, clonidina,guanetidina ou reserpina) podem mascarar ou suprimir totalmente os sinais de diminuiçãode açúcar no sangue.
A glimepirida pode potenciar ou diminuir o efeito de medicamentos anti-coagulantes
(derivados cumarínicos).
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentementeoutros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Tomar Glimepirida Teva com alimentos e bebidas
A ingestão de álcool pode aumentar ou diminuir de forma imprevisível capacidade daglimepirida em reduzir o açúcar no sangue.

Gravidez
Glimepirida não deve ser administrada durante a gravidez. Se a gravidez for planeadadeve falar com o seu médico sobre o plano de tratamento. Se ficar grávida durante otratamento com glimepirida deve informar imediatamente o seu médico.

Aleitamento
A glimepirida pode passar para o leite materno. A glimepirida não deve ser administradadurante o aleitamento.

Condução de veículos e utilização de máquinas
A sua capacidade de concentração e reacção podem estar alteradas se o seu nível deaçúcar estiver baixo (hipoglicemia) ou aumentado (hiperglicemia) ou se desenvolverproblemas visuais resultantes desse estado. Tenha em atenção que pode colocar emperigo a si e aos outros (por ex. quando conduzir um veículo ou utilizar máquinas).
Pergunte ao seu médico se pode conduzir se:
– tem frequentemente episódios de hipoglicemia
– tem poucos ou nenhuns sinais de hipoglicemia

Informações importantes sobre alguns componentes de Glimepirida Teva
Este medicamento contém lactose. Se foi informado pelo seu médico que temintolerância a alguns açúcares, contacte o sue médico antes de tomar este medicamento.

3. COMO TOMAR GLIMEPIRIDA TEVA

Posologia
A dose é determinada pelo seu médico, dependendo dos seus níveis de açúcar no sanguee na urina.
Alterações em factores externos (por ex. redução de peso, alterações no estilo de vida,stress) ou melhoras na doença podem requerer alterações na dose de glimepirida.
A dose inicial normal para adultos é de 1 comprimido de glimepirida por dia. Se seatingir um bom controlo do açúcar no sangue esta dose deve ser utilizada na terapêuticade manutenção. Doses superiores a 4 mg de glimepirida por dia dão melhores resultadosapenas em casos excepcionais. A dose máxima recomendada é de 6 mg de glimepiridapor dia.
A combinação terapêutica de glimepirida e metformina ou glimepirida e insulina podemser iniciadas. Em tais situações, o seu médico determina as doses adequadas deglimepirida, metformina ou insulina individualmente.
A glimepirida deve ser engolida com pelo menos meio copo de água. Normalmente, adose total diária é tomada toda de uma vez, antes ou durante um pequeno-almoçosubstancial. Se não tomar o pequeno-almoço deve tomar o medicamento no horário

prescrito pelo seu médico. É importante que não omita nenhuma refeição quando está atomar glimepirida.
Tome sempre a glimepirida exactamente como o seu médico lhe indicou. Caso aindatenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico oufarmacêutico.
Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver a impressão que a glimepirida édemasiado forte ou fraca para si.

Se tomar mais Glimepirida Teva do que deveria
Se tomou demasiada glimepirida ou uma dose adicional existe o risco de níveis baixos deaçúcar (sinais de hipoglicemia, ver secção 2), pelo que deve consumir imediatamenteaçúcar suficiente (por ex. pequena barra de rebuçados de açúcar, cubos de açúcar, sumosdoces e chá adocicado) e informe o seu médico imediatamente. O mesmo deve serefectuado se alguém, por ex. uma criança, tomou o produto sem intenção. A pessoasinconscientes não deve ser administrado nem comida nem bebidas.
Uma vez que o estado de hipoglicemia pode permanecer por algum tempo é muitoimportante que o doente seja cuidadosamente monitorizado até estar livre de perigo. Podeser necessário o internamento hospitalar, bem como medidas preventivas. Casos gravesde hipoglicemia acompanhados por perda de consciência e falência neurológica grave,são casos de emergência médica, que requerem tratamento médico imediato einternamento hospitalar. Deve assegurar-se que existe sempre uma pessoa previamenteinformada que possa telefonar ao médico em caso de emergência.

Caso se tenha esquecido de tomar Glimepirida Teva
Se se esqueceu de tomar uma dose, não a tome, tome apenas a dose seguinte no horáriohabitual. Não tome uma dose a dobrar para compensar a que se esqueceu.

Se parar de tomar Glimepirida Teva
Se interromper ou parar o tratamento deve ter em consideração que os níveis desejados deaçúcar no sangue não foram atingidos ou que a doença pode agravar-se novamente. Sefor necessária qualquer alteração é extremamente importante que contacte primeiro o seumédico.

4. EFEITOS SECUNDÁRIOS POSSIVEIS

Como os demais medicamentos, Glimepirida Teva pode causar efeitos secundários, noentanto estes não se manifestam em todas as pessoas.
A maioria dos efeitos secundários da glimepirida são dependentes da dose e desaparecemquando a dose é reduzida ou deixa de tomar o medicamento.
Os efeitos secundários ocorrem com maior frequência no início do tratamento.
Os efeitos secundários são geralmente ligeiros e temporários.
Frequências dos efeitos secundários:
Muito frequente: mais de 1 doente em 10
Frequente: mais de 1 doente em 100 e menos de 1 doente em 10

Pouco frequente: mais de 1 doente em 1000 e menos de 1 doente em 100
Raro: mais de 1 doente em 10000 e menos de 1 doente em 1000
Muito Raro: menos de 1 doente em 10000

Muito
Frequente Pouco
Raro Muito
Raro
frequente
frequente
Doenças do

Alterações

sangue e do
hematológicas 1)
sistema linfático
Doenças do

Reacções
de
sistema imunitário
hipersensibilidadeligeiras 2),inflamação alérgicados vasossanguíneos,
Alergia cruzadacom sulfonilureias,sulfonamidas ousubstânciasrelacionadas
Doenças do

Diminuição
do

metabolismo e da
açúcar no sangue
nutrição
(Hipoglicemia)
3)
Afecções oculares

Perturbaç

õesvisuais 4)
Doenças

Náuseas,
vómitos,
gastrointestinais
diarreia, aumentoabdominal,desconfortoabdominal e dorabdominal 5)
Afecções

Aumento
das
Funcionamento
hepatobiliares
enzimas
anormal da função
hepáticas
hepática (por ex.problemas com acirculação biliar eicterícia), hepatite einsuficiênciahepática
Afecções dos

Reacções
de
tecidos cutâneos e
hipersensibilidade
subcutâneas
na pele comocomichão, erupções

cutâneas e urticária,hipersensibilidade àluz
Exames

Diminuição
na
complementares
concentração sérica
de diagnóstico
de sódio

1) Alterações nos valores sanguíneos normais desaparecem normalmente quando otratamento é interrompido.
2) Em casos isolados, reacções ligeiras (por ex. da pele) podem desenvolver-se emsituações de risco de vida com dificuldade de respiração, diminuição da pressão arterial eaté mesmo choque. Por isso, se observar reacções cutâneas, deve contactar o seu médicoimediatamente.
3) ?Reacções de hipoglicemia? são reacções provocadas pela redução de açúcar nosangue. Estas ocorrem imediatamente. Podem ser perigosas e nem sempre são fáceis detratar (ver secção 2 e secção 3)
4) Perturbações visuais temporárias são devido às alterações na concentração sanguíneade açúcar e ocorrem normalmente no início do tratamento.
5) Queixas gastrointestinais raramente conduzem à interrupção da terapêutica.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundáriosnão mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

5. COMO CONSERVAR GLIMEPIRIDA TEVA

Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Não conservar acima de 25ºC.
Não utilize Glimepirida Teva após o prazo de validade impresso na embalagem exterior.
Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico.
Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita.
Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.

6. OUTRAS INFORMAÇÕES

Qual a composição de Glimepirida Teva
A substância activa é Glimepirida. Cada comprimido contém 1mg, 2 mg, 3mg, ou 4 mgde glimepirida.
Os outros componentes são lactose mono-hidratada, carboximetilamido sódico, povidona,celulose microcristalina, estearato de magnésio e os seguintes corantes:
Comprimidos de 1 mg ? oxido de ferro vermelho (E172)
Comprimidos de 2 mg ? oxido de ferro amarelo (E172) e indigotina (E132)
Comprimidos de 3 mg ? oxido de ferro amarelo (E172)
Comprimidos de 4 mg ? indigotina (E132)

Qual o aspecto de Glimepirida Teva e conteúdo da embalagem
Comprimidos 1 mg: comprimido redondo, rosa mosqueado, ranhurado de ambos oslados. Um lado do comprimido tem a gravação ?9? de um lado da ranhura e do outro ?3?.
No outro lado do comprimido tem a gravação ?72? de um lado da ranhura e do outro
?54?.

Comprimidos 2 mg: comprimido redondo, verde mosqueado, ranhurado de ambos oslados. Um lado do comprimido tem a gravação ?9? de um lado da ranhura e do outro ?3?.
No outro lado do comprimido tem a gravação ?72? de um lado da ranhura e do outro
?55?.

Comprimidos 3 mg: comprimido redondo, amarelo claro a amarelo, ranhurado de ambosos lados. Um lado do comprimido tem a gravação ?G? de um lado da ranhura e do outro
?3?.

Comprimidos 4 mg: comprimido redondo, azul claro mosqueado, ranhurado de ambos oslados. Um lado do comprimido tem a gravação ?9? de um lado da ranhura e do outro ?3?.
No outro lado do comprimido tem a gravação ?72? de um lado da ranhura e do outro
?56?.
A Glimepirida Teva está disponível em embalagens de 20, 28, 30, 50, 60, 90, 120 e 200comprimidos.
É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

Teva Pharma ? Produtos Farmacêuticos Lda.
Lagoas Park, Edifício 1, Piso 3
2740-264 Porto Salvo

Este folheto foi aprovado pela última vez em