Meloxicam Ciclum Meloxicam bula do medicamento

Neste folheto:
1. O que é Meloxicam Ciclum e para que é utilizado
2. Antes de tomar Meloxicam Ciclum
3. Como tomar Meloxicam Ciclum
4. Efeitos secundários possíveis
5. Como conservar Meloxicam Ciclum
6. Outras informações


FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

Meloxicam Ciclum 7,5 mg Comprimidos
Meloxicam Ciclum 15 mg Comprimidos
Meloxicam

Leia atentamente este folheto antes de tomar o medicamento.
– Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.
– Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; o medicamento podeser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas.
– Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitossecundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Neste folheto:

1. O QUE É MELOXICAM CICLUM E PARA QUE É UTILIZADO

Meloxicam Ciclum é um medicamento dotado de propriedades analgésicas e anti-
inflamatórias que pertence ao grupo farmacoterapêutico dos anti-inflamatórios nãoesteróides (AINEs) utilizados no alívio das dores e redução da inflamação em músculose articulações.

Meloxicam Ciclum está indicado para:
– Tratamento sintomático de curta duração em casos de agravamento da osteoartrose,
(doença degenerativa das articulações).
– Tratamento sintomático de longa duração da artrite reumatóide e da espondiliteanquilosante (inflamação crónica das articulações com perda de mobilidade).

2. ANTES DE TOMAR MELOXICAM CICLUM

Não tome Meloxicam Ciclum:
– se está grávida; planeia uma gravidez ou se está a amamentar (ver secção Gravidez ealeitamento)
– se tem alergia (hipersensibilidade) ao meloxicam ou a qualquer outro componente de
Meloxicam Ciclum; ou a substâncias com acção semelhante (como AINEs, Aspirina). Omeloxicam não deve ser tomado por doentes que desenvolveram sinais de asma (doençarespiratória com dificuldade em respirar), pólipos nasais, (tumores da mucosa do nariz)edema ou urticária após ter tomado ácido acetilsalicílico (Aspirina) ou outro AINE;

– se sofre de úlcera gastrointestinal activa (úlcera péptica, inflamação e úlceras doestômago e intestinos) ou hemorragia do estômago ou intestinos (originando, porexemplo,fezes pretas)

– se tem antecedentes de úlcera gastrointestinal recorrente ou hemorragia do estômagoou intestinos (dois ou mais episódios distintos de úlceras ou hemorragias)
– se sofreu hemorragia cerebral (hemorragia das artérias do cérebro) ou outrashemorragias
– história de hemorragia no estômago ou intestinos ou uma perfuração (ruptura) doestômago ou intestinos, relacionados com a terapêutica anterior com um medicamentopertencente ao grupo dos anti-inflamatórios não esteróides (AINE)
– Se sofre de insuficiência hepática grave
– Se sofre de insuficiência renal grave e não estiver a fazer diálise
– Se sofre de insuficiência cardíaca congestiva grave (quando o coração não trabalhabem).

Tome especial cuidado com Meloxicam Ciclum:
– Se tiver antecedentes de esofagite (inflamação do esófago), gastrite (inflamação doestômago) e/ou úlcera péptica, o seu médico deve assegurar a cura total destas doençasantes de iniciar o tratamento com meloxicam.

Hemorragia no estômago ou intestinos/ulceração ou perfuração (ruptura)
Se tem antecedentes de doenças intestinais (colite ulcerosa, doença de Crohn) o médicoirá prescrever-lhe Meloxicam Ciclum com especial cuidado, para não piorar (Ver secção
4 Efeitos secundários possíveis).

Meloxicam e outros medicamentos do mesmo grupo (AINEs) podem originarhemorragias do estômago/intestinos e ulceração ou perfuração, por vezes com risco devida. Isto pode acontecer a qualquer momento durante o tratamento, com ou semsintomas ou história prévia de tais eventos.

– Se tiver tido sintomas gastrointestinais (queixas no estômago e intestinos) ou se sofrerde outra doença gastrointestinal (colite ulcerosa, doença de Crohn ? inflamação crónicae recorrente nos intestinos) o seu médico deverá controlar alterações digestivasespecialmente hemorragias gastrointestinais (hemorragia do estômago e intestinosoriginando fezes escuras).

O risco de hemorragia (do estômago ou intestinos), ulceração ou perfuração (ruptura) émaior em:
– doentes que utilizam doses elevadas do AINEs
– dooentes que já tiveram úlceras, principalmente se combinadas com hemorragia ouperfuração (Ver secção 2 Não tome Meloxicam "Ciclum")

Idosos
Estes doentes podem iniciar o tratamento com a menor dose disponível. O médico podeconsiderar uma combinação terapêutica com agentes protectores (medicamentos queajudam a proteger o estômago). O mesmo se aplica a doentes, que estão a tomar aomesmo tempo doses baixas de ácido acetilsalicílico ou outros fármacos que possamaumentar o risco gastrointestinal. Por favor, fale com o seu médico.

Se já teve alguma vez experimentou efeitos secundários no estômago ou intestinos,especialmente se for idoso, deve informar o seu médico do aparecimento de quaisquersintomas gastrointestinais anormais (especialmente fezes com sangue ou pretas ouvómitos com sangue) principalmente durante os primeiros meses de tratamento.

Deve ter cuidado, se estiver a tomar medicação concomitante que possa aumentar orisco de ulceração (ruptura) ou hemorragia:
– corticosteróides orais (medicamentos para o tratamento de uma inflamação como oreumatismo)
anticoagulantes, como a varfarina (medicamentos para tornar o sangue fino)
– inibidores selectivos de recaptação da serotonina (medicamentos também utilizadospara tratar a depressão)
– agentes anti-plaquetários como o ácido acetilsalicílico (medicamentos para inibir acoagulação do sangue)
(ver também a secção 2 Tomar/utilizar outros medicamentos).

Se ocorrer hemorragia de estômago ou intestinos (fezes com sangue, pretas ou vómitoscom sangue) ou ulceração durante o tratamento com Meloxicam Ciclum, informe o seumédico imediatamente e pare de tomar o medicamento
O uso concomitante de Meloxicam Ciclum com outros medicamentos pertencentes aogrupo dos anti-inflamatórios não esteróides (AINE) incluindo os inibidores da COX-2-
(inibidores da ciclo-oxigenase-2; medicamentos para tratar a inflamação) deve serevitado.

Efeitos cardiovasculares e cerebrovasculares
Os medicamentos tais como Meloxicam Ciclum podem estar associados a um pequenoaumento do risco de ataque cardíaco (enfarte do miocárdio) ou Acidente Vascular
Cerebral (AVC). O risco é maior com doses mais elevadas e em tratamentosprolongados. Não deve ser excedida a dose recomendada nem o tempo de duração dotratamento.

Se tem problemas cardíacos, sofreu um AVC ou pensa que pode estar em risco de vir asofrer destas situações (por exemplo se tem tensão alta, diabetes, elevados níveis decolesterol ou se é fumador) deverá aconselhar-se sobre o tratamento com o seu médicoou farmacêutico.

Se tem antecedentes de hipertensão (pressão arterial alta) ou de insuficiência cardíaca
(capacidade diminuída do coração em bombear quantidade suficiente de sangue atravésdo seu corpo), o seu médico deverá vigiá-lo cuidadosamente.

Reacções cutâneas graves/Reacções de hipersensibilidade
Foram notificadas muito raramente, reacções cutâneas graves, algumas vezes com riscode vida, associadas à utilização de AINEs (incluindo dermatite exfoliativa, síndrome de
Stevens Johnson e necrólise epidérmica tóxica; ver secção 4 Efeitos secundáriospossíveis). Existe um maior risco destas reacções ocorrerem no início do tratamento.
Deve parar de tomar Meloxicam Ciclum ao primeiro sinal de rash cutâneo, lesões nasmucosas, ou qualquer outro sinal de hipersensibilidade (como dificuldades respiratórias;

aperto na garganta, inchaço dos lábios, língua, ou face; ou urticária). Consulte seumédico imediatamente.

Outros conselhos

Os efeitos do Meloxicam não são imediatos. Por favor, informe o seu médico se a acçãode Meloxicam Ciclum é muito fraca ou se precisa de um alívio da dor mais rápido.

Meloxicam pode alterar a maioria dos parâmetros laboratoriais. Estas alterações são nasua maioria ligeiras e transitóriss. Se se verificar qualquer alteração significativa oupersistente, o seu médico poderá descontinuar a administração do medicamento e iniciarinvestigações adequadas.

No início do tratamento, ou após algum aumento da dose, a diurese e a função renaldevem ser cuidadosamente monitorizadas nos doentes:
idosos;
– a serem tratados simultaneamente com inibidores da ECA; antagonistas daangiotensina II, sartans (antagonistas do receptor da angiotensina II), diuréticos
(medicamentos para tratar a hipertensão);
– com volume de sangue deficitário;
– com insuficiência cardíaca congestiva;
– com afecção dos rins (Insuficiência renal, sindrome nefrótico, Lupus nefropático);
– com doença grave do fígado.

Os valores do potássio devem ser regularmente monitorizados nos doentes com diabetesou sob tratamento com medicamentos que aumentem o potássio.

Se estiver a tomar Meloxicam pode ser mais difícil conseguir engravidar.
Deve informar o seu médico, se estiver a planear engravidar ou se estiver comdificuldades para ficar grávida.

Em casos raros os AINEs podem causar:
– inflamação dos rins (nefrite intersticial, glomerulonefrite)
– necrose da medula renal: danos nos rins que podem originar insuficiência renal
– síndrome nefrótico: os rins podem ser afectados e originar falência renal

Os efeitos indesejáveis podem ser minimizados utilizando a menor dose eficaz e a maiscurta duração necessária para controlar os sintomas.

Em caso de insuficiente efeito terapêutico, a dose máxima diária recomendada não deveser ultrapassada, e nenhum outro AINE deve ser adicionado à terapêutica. Na ausênciade melhoras após vários dias, deve consultar o médico!

Idosos
O risco de sofrer de efeitos colaterais (especialmente hemorragia digestiva eperfuração), que podem ser de risco de vida está aumentado nos idosos. Em geral aulceração ou hemorragia gastrointestinal/ perfuração, têm consequências mais gravesnos idosos. Por isso, eles exigem uma cuidadosa monitorização pelo médico.

O médico irá vigiá-lo com cuidado, especialmente se sofrer de insuficiência renal,hepática ou insuficiência cardíaca (diminuída capacidade do coração de bombear sanguesuficiente através do seu corpo).

Ao tomar Meloxicam Ciclum com outros medicamentos:
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentementeoutros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Os seguintes medicamentos podem aumentar o risco de efeitos secundários, noestômago e intestinos
outros anti-inflamatórios não esteróides (AINE) (por exemplo, ibuprofeno)
– inibidores selectivos da ciclooxigenase-2 (medicamentos para o tratamento dainflamação)
– corticosteróides (medicamentos para tratar a inflamação ou alergia).
– agentes anti-plaquetários (medicamentos que inibem ou dissolvem coágulossanguíneos), tais como ácido acetilsalicílico
– alguns medicamentos para tratar a depressão (inibidores selectivos da recaptação daserotonina; ISRS).

Também podem ocorrer interações com os seguintes medicamentos:
anticoagulantes orais. Os AINEs podem aumentar os efeitos de anti-coagulantes, comoa varfarina. O uso concomitante de AINEs, tais como meloxicam, e anticoagulantesorais não é recomendada. Informe o seu médico se estivar a tomar anticoagulantes!
– utilização simultânea de AINEs e medicamentos utilizados como supressores dareposta imunitária ou inibidores das reacções de defesa após o transplante de orgãos
(ciclosporina). Estes podem aumentar os efeitos secundários para os rins
(nefrotoxicidade) quando o meloxicam é administrado simultâneamente.
– medicamentos para baixar a tensão arterial (diuréticos, inibidores da ECA,antagonistas da angiotensina II, beta-bloqueantes); o Meloxicam pode reduzir o efeitoanti-hipertensivo destes medicamentos.
– dispositivos intrauterinos (DIUs), pequenos dispositivos flexiveis feitos de metal e/ouplástico que quando inseridos no útero da mulher evitam a gravidez. O meloxicam podereduzir o seu efeito.
– certos medicamentos utilizados no tratamento de perturbações psiquiátricas e dadepressão (lítio);
– certos medicamentos utilizados para o tratamento das doenças reumáticas e tumores
(metrotexato). O meloxicam pode elevar os níveis destes medicamentos.
– medicamentos para fazer baixar o colesterol (colestiramina). Estes diminuem os níveisplasmáticos de meloxicam e consequentemente o seu efeito.

Ao tomar Meloxicam Ciclum com alimentos e bebidas:
Os comprimidos devem ser tomados com água ou outro líquido, durante uma refeição.

Gravidez e aleitamento:
Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Gravidez
Não deve tomar Meloxicam "Ciclum" durante a gravidez.

Se está a tomar Meloxicam "Ciclum", e pensa ou sabe que está grávida deve aconselhar-
se com o seu médico.

Pode ser mais difícil engravidar se estiver a tomar Meloxicam (ver secção 2 Tomeespecial cuidado com Meloxicam "Ciclum").

Aleitamento
Não deve tomar Meloxicam "Ciclum" enquanto estiver a amamentar.

Condução de veículos e utilização de máquinas:
A influência do meloxicam nestas actividades deve ser nula ou negligenciável. Contudo,quando tomar meloxicam podem ocorrer perturbações do sistema nervoso central
(Perturbações visuais, sonolência, vertigem (tonturas), visão turva ou outros sintomas).
Se estes sintomas ocorrerem, abstenha-se de conduzir e utilizar máquinas.

Informações importantes sobre alguns componentes de Meloxicam Ciclum:
Meloxicam Ciclum contém lactose. Se o seu médico o tiver informado de que sofre deintolerância a alguns açúcares, contacte o seu médico antes de tomar este medicamento.

3. COMO TOMAR MELOXICAM CICLUM

Tomar Meloxicam Ciclum sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com oseu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Comprimidos de 7,5 mg
A dose usual é:

exacerbação da osteoartroese:
1 comprimido por dia (7,5 mg de meloxicam).
Se necessário, na ausência de melhoras, a dose pode ser aumentada para 2 comprimidospor dia (15 mg de meloxicam)

artrite reumatóide ou espondilite anquilosante:
2 comprimidos por dia (15 mg de meloxicam) (ver também ?Populações especiais?).
De acordo com a resposta terapêutica, o seu médico pode reduzir a dose para 1comprimido por dia (7,5 mg de meloxicam).

Comprimidos de 15 mg

exacerbação da osteoartrose:
1/2 comprimido por dia (7,5 mg de meloxicam).
Se necessário, na ausência de melhoras, a dose pode ser aumentada para 1 comprimidopor dia (15 mg de meloxicam).

artrite reumatóide ou espondilite anquilosante:
1 comprimido por dia (15 mg de meloxicam) (ver também ?populações especiais?).
De acordo com a resposta terapêutica, o seu médico pode reduzir a dose para ½comprimido por dia (7,5 mg de meloxicam).

Não ultrapassar a dose de 2 comprimidos de Meloxicam Ciclum 7,5 ou 1 comprimidode Meloxicam Ciclum 15 mg (equivalente a 15 mg de meloxicam por dia.).

Modo de administração
Via oral
Tome os comprimidos com bastante líquido (ex: 1 copo de água), uma vez por dia,durante uma refeição.
Como os riscos da utilização do meloxicam podem aumentar com a dose e duração daexposição, deve ser utilizado durante o mais curto espaço de tempo possível e na menordose efectiva possível. Por isso deve ir frequentemente ao médico.

Populações especiais

Doentes idosos e doentes com risco aumentado de reacções adversas:
A dose recomendada para o tratamento a longo prazo nos doentes idosos é de 1comprimido de Meloxicam Ciclum 7,5 mg ou 1/2 comprimido de Meloxicam Ciclum
15 mg (7,5 mg de meloxicam) por dia. Os doentes com risco aumentado de reacçõesadversas devem iniciar o tratamento com 1 comprimido de Meloxicam Ciclum 7,5 mgou 1/2 comprimido de Meloxicam Ciclum 15 mg (7,5 mg de meloxicam) por dia.

Doentes com Insuficiência renal:
Em doentes com insuficiência renal grave submetidos a diálise, a dose não deverá sersuperior a 1 comprimido de Meloxicam Ciclum 7,5 mg ou 1/2 comprimido de
Meloxicam Ciclum 15 mg (7,5 mg de meloxicam) por dia.
Meloxicam não deve nunca ser tomado por doentes com insuficiência renal grave semdiálise (ver ? Não tome Meloxicam Ciclum?).

Doentes com Insuficiência hepática:
Não é necessária a redução da dose em doentes com insuficiência hepática ligeira amoderada.
Meloxicam não deve ser tomado por doentes com insuficiência hepática grave (ver ?
Não tome Meloxicam Ciclum).

Crianças e adolescentes (< 15 anos)
Este medicamento não deve ser utilizado em crianças com idade inferior a 15 anos.
Para crianças com idade inferior a 15 anos deve ser utilizada uma concentração menorou uma forma farmacêutica diferente.

Se tomar mais Meloxicam Ciclum do que deveria:
Se tiver tomado mais comprimidos do que devia, contacte imediatamente o seu médicoou farmacêutico.

Os sintomas de uma sobredosagem aguda com meloxicam podem incluir:
– náuseas
vómitos
– sonolência
– letargia

– dor epigástrica (dor na parte superior do abdomen), os quais revertem geralmente comtratamento sintomático
hemorragia gástrica e/ou intestinal.

A sobredosagem grave pode originar por exemplo:
– hipertensão
insuficiência renal aguda
– insuficiência hepática
depressão respiratória grave
– convulsões
– colapso (inconsciência)

Foram relatadas reacções alérgicas graves (anafilactóides) com a utilização de AINEs epodem ocorrer após uma sobredosagem.

Caso se tenha esquecido de tomar Meloxicam Ciclum:
Não tome uma dose a dobrar para compensar o comprimido que se esqueceu de tomar;volte a tomar o medicamento conforme prescrito pelo seu médico.

Se parar de tomar Meloxicam Ciclum:
Não interrompa o tratamento sem consultar o seu médico.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médicoou farmacêutico

4. EFEITOS SECUNDÁRIOS POSSÍVEIS

Como todos os medicamentos, Meloxicam Ciclum pode causar efeitos secundários, noentanto estes não se manifestam em todas as pessoas.

Contacte o seu médico imediatamente se tiver:
sangue nas fezes, ou fezes escuras
vómitos com sangue
– edema ou aumento rápido de peso (retenção de líquidos);
– invulgar fadiga ou fraqueza
– pele ou olhos amarelados
– grande comichão
– síndrome gripal
– sensação ou dor abdominal.
Estes sintomas podem indicar efeitos secundários graves (úlcera peptica, perfuração ouhemorragia do estômago ou intestinos) que pode ser algumas vezes grave especialmenteno idoso. Estes efeitos secundários podem ocorrer em qualquer altura durante otratamento, com ou sem sintomas ou antecedentes de graves problemasgastrointestinais, e podem ter maiores consequências no idoso.

Se já sentiu algum dos seguintes efeitos secundários graves, pare de tomar omedicamento e contacte imediatamente o seu médico:

– reacção alérgica (dificuldade em respirar; aperto na garganta; edema dos lábios, línguaou face; ou urticária);
– cãibras musculares, dormência ou formigueiro;
– úlceras (feridas abertas) na boca;
– convulsões;
– diminuição da audição ou som de campaínhas;
– cãimbras abdominais, azia ou indigestão.

Podem também ocorrer outros efeitos secundários menos graves. Fale com o seumédico se sentir:
– tonturas ou dor de cabeça;
– náusea, diarreia ou prisão de ventre;
depressão;
– fadiga ou fraqueza;
– boca seca;
– período menstrual irregular.

Os efeitos secundários foram classificados com as seguintes frequências (ver abaixo)

muito frequentes
Afecta 1 ou mais do que 1 utilizador em 10
frequentes
afecta 1 a 10 utilizadores em 100
pouco frequentes
afecta 1 a 10 utilizadores em 1.000
raros
afecta 1 a 10 utilizadores em 10.000
muito raros
afecta menos que 1 utilizador em 10.000
desconhecidos
frequência não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis

Os efeitos secundários mais frequentemente observados dizem respeito ao estômago ouintestinos. Podem ocorrer úlceras gastrointestinais (úlceras pépticas), perfuração
(ruptura) ou hemorragia, por vezes com risco de vida, especialmente nos idosos (versecção 2 Tome especial cuidado com Meloxicam "Ciclum").

Muito frequentes:
-perturbações gastrointestinais como:
dispepsia (perturbação da digestão);
– náusea (vontade de vomitar) e vómitos;
– dor abdominal;
prisão de ventre;
– flatulência (gases);
diarreia;
– pequena perda de sangue gastrointestinal, que pode originar em casos muito raros,uma diminuição do número de células vermelhas no sangue (anemia)

Frequentes:
anemia (baixo número de células vermelhas no sangue)
– sensação de cabeça leve;
– dor de cabeça;
prurido;
– erupção cutânea;

– retenção de líquidos (edema) p.ex. com inchaço nos membros inferiores.

Pouco frequentes:
– perturbações no sangue (alterações na contagem das células sanguíneas comoleucocitopénia, trombocitopénia, agranulocitose);
– tonturas;
zumbido nos ouvidos;
– sonolência;
– percepção dos batimentos do coração (palpitações);
– aumento da pressão arterial;
– rubores;
hemorragia do estômago ou intestinos e úlceras (isto pode originar fezes pretas ousangue nos vómitos);
– esofagite (inflamação do esófago);
– ferida na boca (inflamação da mucosa da boca, estomatite);
urticária;
– retenção de água e de sódio;
– hipercaliémia (aumento dos níveis de potássio no sangue);
– alterações transitórias dos testes da função hepática e renal.
– alterações cardiovasculares e cerebrovasculares, eventos tromboembólicas (formaçãode um coágulo ou trombo dentro de um vaso sanguíneo, o que pode levar a certasdoenças cardíacas ou afectar o cérebro).

Raros:
– Reacções anafilácticas (reacção alérgica aguda) incluindo sintomas como inflamaçãoou bolhas na pele, edema dos lábios ou língua), dificuldade em respirar, tensão baixa edesmaio. Se apresentar algum destes sintomas, consulte imediatamente o médico:
– alterações do humor
– insónia e pesadelos
– confusão
– distúrbios visuais incluindo visão turva
– crises de asma em algumas pessoas alérgicas ao ácido acetilsalicílico (Aspirina) ou aoutros AINEs
– perfuração gastrointestinal (perfuração da parede do estômago e intestino). Isto podecausar peritonite (inflamação dentro do abdómen) e requere imediata cirurgia
– gastrite (inflamação do estômago)
– colite (inflamação do intestino)
– hepatite (inflamação do fígado)
– reacções cutâneas bolhosas graves com vermelhidão e bolhas (por exemplo, síndromede Stevens Johnson e necrólise epidérmica tóxica/Síndrome de Lyell)
– angioedema (edema da pele e das membrana mucosas)
– reacções cutâneas bolhosas como eritema multiforme
– reacções de fotosensibilidade
insuficiência renal aguda funcional em doentes com factores de risco.

Desconhecidos:
– exacerbação de doença gastrointestinal (colite e doença de Crohn; Ver secção 2 Tomeespecial cuidado com Meloxicam "Ciclum")
– hipertensão (pressão arterial alta)

– insuficiência cardíaca
– eventos trombóticos venosos (formação de um coágulo ou trombo no interior de umaveia, obstruindo o fluxo de sangue através do sistema circulatório)
– eosinofilia pulmonar (inflamação dos pulmões provavelmente devido a uma reacçãoalérgica)

Os medicamentos tais como o Meloxicam Ciclum podem estar associados a umpequeno aumento do risco de ataque cardíaco (enfarte do miocárdio) ou AVC.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundáriosnão mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

5. COMO CONSERVAR MELOXICAM CICLUM

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Não utilize Meloxicam Ciclum após o prazo de validade impresso na embalagemexterior, após ?VAL:?. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Não são necessárias precauções especiais de conservação.

Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico.
Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita.
Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.

6. OUTRAS INFORMAÇÕES

Qual a composição de Meloxicam Ciclum:
– A substância activa é o meloxicam.
– Um comprimido de Meloxicam Ciclum 7,5 mg contém 7,5 mg de meloxicam.
– Um comprimido de Meloxicam Ciclum 15 mg contém 15 mg de meloxicam.
Os outros componentes são: celulose microcristalina, amido pré-gelatinizado (demilho), amido de milho, citrato de sódio, sílica anidra coloidal, estearato de magnésio elactose mono-hidratada.

Qual o aspecto de Meloxicam Ciclum e conteúdo da embalagem:
Blisteres de PVC/PVDC/Alu com comprimidos amarelos claros, redondo, ranhuradonuma das faces.
Embalagens com 7,10,14, 15, 20, 28, 30, 50, 60, 100, 140, 280, 300, 500 ou 1000comprimidos.
É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado:

Ciclum Farma Unipessoal, Lda.
Quinta da Fonte
Edifício D. Amélia ? Piso 1, Ala B

2770-229 Paço de Arcos

Fabricantes:

Chanelle Medical (Fab. Loughrea)
Loughrea ? County Galway
Irlanda

Genus Pharmaceuticals Limited
Benham Valence,
Newbury – Berkshire
Reino Unido

Este medicamento encontra-se autorizado nos Estados Membros do Espaço Económico
Europeu (EEE) sob as seguintes denominações:

BE: Meloxicam EG 7,5/15mg tabletten
CZ: MELOXISTAD 7,5/15
DE: Meloxicam AL 7,5 /15mg Tabletten
DK: Meloxicam STADA
EE: MELOXISTAD 7,5/15 mg tabletid
ES: Meloxicam STADA 7,5/15 mg comprimidos EFG
FI: Meloxicam STADA 7,5/15 tabletti
HU: MELOXISTAD 7.5/15 mg tabletta
IE: Meloxicam 7.5/15 mg tablets
IT: Meloxicam EG 7,5/15 mg Compresse
LT: MELOXISTAD 7,5/15 mg tabletés
LU: Meloxicam EG 7,5/15 mg comprimés
LV: MELOXISTAD 7,5/15 mg tabletes
PL: Meloxistad
PT: Meloxicam Ciclum 7,5/15 mg comprimidos
SK: MELOXISTAD 7,5/15
UK: Meloxicam 7.5/15 mg Tablets

Este folheto foi aprovado pela última vez em